1999 - A Bela e a Correnteza

 

 

ao longe... 
uma correnteza minha inspiração acompanha

na mais distante margem 
ergue-se um vulto leve...

a brisa amiga brinca com alguns fios de cabelo claro,
enquanto um fluxo constante d´água 
desliza sobre rochas antigas

mãos frágeis quão gotas de orvalho
alcançam os braços do regato veloz,
sentindo assim a pulsação líqüida que seu íntimo agasalha

olhos sorriem timidamente, agradecendo à corrente
o frescor to toque
Levantam-se ao céu, e um azul sem fim reflete-se 
em suas superfícies sempre espelho

em seu rosto belo revelam-se as torrentes frias e calorosas
que cruzam as profundezas do ãmago

quem será? questiona a doce esperança que em minha
inspiração reside

quem será esta alma que tem o poder de encantar o Nilo?
conseguirei aproximar-me? haverá ponte que nos leve,
inspiração, até ela? haverá?

 





(0) Comentários
Nenhum comentário disponível.
Nome: *
E-mail: *
Mensagem: *

*Campos Obrigatórios

destaques

  •  

    15 ANOS DE CARREIRA DE ANDREY CECHELERO

  •  

    Uma seleção de músicas com imagens belíssimas

  •  

    Primeiro livro de Andrey Cechelero - poemas