1999 - Assim sonhei

 

 

Contávamos estrelas em outro firmamento

Assim sonhei...
Procurávamos vê-las com as janelas de dentro

Sim, sonhei.

Éramos você, eu e astros silenciosos
Assim sonhei...

Falávamos de ser, ter e rastros luminosos
Sim, sonhei.

Estávamos sem solo, castelo e tesouro
Assim sonhei...

Voávamos sem medo, segredo, choro
Sim, sonhei.

Tínhamos bela coragem, paisagens; luar
Assim sonhei...

Víamos tela, imagens e mar
Sim, sonhei.

Pensávamos em futuros, em escuros perdidos no passado
Assim sonhei...

Derrubávamos muros, duros perigos armados
Sim, sonhei.

Orávamos sem som, no silêncio bom do criador
Assim sonhei...

Alcançávamos o dom, o áureo tom de seu amor
Sim, sonhei.

Acreditávamos na fé, nas montanhas que se movem
Assim sonhei...

Divisávamos até... as nuvens dos tristes que não chovem
Sim, sonhei.

Amanhecíamos matizes... de um claro certo céu
Assim sonhei...

Anoitecíamos felizes, num raro e doce véu
Sim, sonhei.

Sonhei um sono sonhado
E agora me encontro acordado

Com a luz deste sonho ao teu lado...


**Poema integrante do livro "No Castelo do Espírito", de Andrey Cechelero**

 





(0) Comentários
Nenhum comentário disponível.
Nome: *
E-mail: *
Mensagem: *

*Campos Obrigatórios

destaques

  •  

    15 ANOS DE CARREIRA DE ANDREY CECHELERO

  •  

    Uma seleção de músicas com imagens belíssimas

  •  

    Primeiro livro de Andrey Cechelero - poemas